REDE DE IDÉIAS


Quatro características de um líder 

Daniele Pechi

Como qualquer outro profissional que coordena equipes, um bom gestor escolar precisa ser um líder. A boa notícia é que a liderança não é nata ao contrário, ela se aprende. Conheça suas principais características e sabia como desenvolvê-las.

Para você, o que é ser um líder? Possuir carisma? Ter o dom da oratória? Ser querido por chefes e subordinados? Muitas vezes, as respostas mais comuns vão nessa direção - e acabam por construir um retrato inadequado da liderança. Fazem supor que ela seria totalmente subjetiva, um dom, uma inspiração. Sim, existem líderes natos ou intuitivos. Mas eles são a minoria (e nem sempre, são os mais eficientes).
A boa notícia é que a liderança, essa qualidade que permite a um profissional criar e manter um grupo coeso, inspirado e trabalhando motivado, pode ser desenvolvida ao longo da carreira. Todo profissional que tem um coletivo sob sua responsabilidade deve procurar aprimorá-la. "É caso do gestor escolar, que tem a tarefa de articular a equipe visando a aprendizagem dos alunos", afirma Denis Mizne, diretor executivo da Fundação Lemann. Com a ajuda desse especilaista, selecionamos  iniciativas que podem tornar o gestor escolar em um bom líder. Conheça-as abaixo e saiba como desenvolvê-las.

1- Envolva a equipe no planejamento, dê autonomia nas ações
Todo líder deve construir coletivamente seu planejamento e dar uma certa autonomia para que cada um desempenhe suas tarefas. Gerir um time dessa maneira é estar aberto para conflitos e opiniões contraditórias, de modo que seu papel é encaminhar a discussão e garantir espaço para que todos se manifestem. Dá trabalho, mas ajuda aa criar um modelo de corresponsabilidade, em que todos se envolvem com o que o grupo decidiu, sem transferir a outros a culpa ou os méritos pelos resultados. 

2- Estabeleça metas claras
Qual o resultado que pretendo obter com meu trabalho e da equipe? Estabelecer metas é o primeiro passo para conseguir melhorar a realidade de sua escola. Nesse processo, duas coisas são fundamentais. Primeiro, conhecer os dados da escola para decidir o que voce quer transformar (Abandono? Repetência? etc.). Segundo, envolver a equipe para discutir as expectativas e construir as estratégias - sua função é enfatizar o tempo todo de que elas devem ser viáveis. Vale lembrar que o planejamento não é imutável. Vale (e muito!) organizar reuniões periódicas de avaliação para saber quais são as impressões da cada um sobre as ações propostas e o que deve ser mudado. 

3- Preocupe-se com o que interessa: o aprendizado dos alunos
Cuidar apenas de assuntos burocráticos ou relacionados à estrutura da escola e não querer saber o que acontece dentro das salas de aula é um dos maiores erros que um gestor pode cometer. Quando os professores e os outros colaboradores percebem que o gestor não acompanha o dia a dia da escola, eles ficam muito frustrados. É somente ao andar pela escola, ao conversar com alunos e funcionários e ao fazer reuniões periódicas de acompanhamento que o diretor consegue perceber realmente quais são os problemas da escola. Esse conhecimento vai auxiliar no passo posterior: como encaminhar a resolução das dificuldades (O que é prioridade? Quem deve estar envolvido? É necessário chamar os pais? Em que momento?).
4- Saiba como fazer a gestão da aprendizagem
A equipe precisa saber que existe alguém - você - realmente interessado em ajudar a fazer um trabalho de formação focado nas dificuldades dos professores e dos alunos. Mais que isso: precisa confiar que essa pessoa (adivinha quem?) pode estar à frente desse processo. Nenhum diretor de escola precisa ser um especialista em todas as disciplinas. Ele precisa, sim, saber o que é um bom professor, como ele trabalha e quais são os elementos fundamentais para a realização da formação continuada desses profissionais. Um bom líder deve ter conhecimento para identificar quem são as pessoas que mais podem ajuda-lo no trabalho de formação. Ter acesso a uma rede de contatos de especialistas em cada disciplina, dentro e fora da Secretaria de Educação, é fundamental. Muitas vezes, a solução está dentro da própria escola: há alguém na equipe capaz de exercer parte da formação? Agir assim é uma boa forma de engajar professores experientes a querer aprender outras coisas e a compartilhar seu conhecimento com seus pares.


Referência Bibliográfica
revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/


Gestão Escolar

10 assuntos que não podem faltar na agenda da dupla gestora

Pelo menos uma vez por semana, diretor e coordenador pedagógico precisam se encontrar para falar sobre o planejamento da escola. Veja quais são os temas mais importantes a tratar


Reuniões de formação acompanhadas de perto:
Organização do calendário escolar
Revisão do projeto político-pedagógico (PPP).

Equipe grande exige mais organização
Análise de resultados dos alunos
Elaboração de projetos institucionais
Formação dos professores em serviço.

Em sintonia com a rede de ensino:
Diálogo constante com a Secretaria de Educação
Preparação do Conselho de Classe
Aquisição, uso e conservação de materiais.

Decisões administrativas a favor da aprendizagem: 
Articulação com as famílias; 
Mobilização dos segmentos escolares.


 
Referência Bibliográfica
revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você é meu visitante número...

Meus Seguidores